quinta-feira, março 01, 2012

Ainda sobre João da Baiana

Só mais uma coisa que esqueci de frisar na postagem anterior: para se entender melhor quem foi João da Baiana é indispensável dizer que ele fazia parte daquele ambiente geográfico e sócio-cultural que o pesquisador e cineasta Roberto Moura chama de "Pequena África no Rio de Janeiro", ou seja, ele era um dos descendentes da diáspora baiana que chegou à antiga capital brasileira nas décadas finais do século XIX. Escrevo isso porque na postagem anterior enfatizei a origem popular de João da Baiana e descuidei um pouco das suas raízes afro-baianas.

Para sanar essa falha, seguem três links para três gravações em disco dessa importante personagem. Uma é um samba relativamente muito conhecido que já foi gravado por Martinho da Vila, "Batuque na cozinha", cuja letra é muito interessante, já que mistura um refrão que faz referência à escravidão (Batuque na cozinha, sinhá não quer/Por causa do batuque eu queimei meu pé) com versos que remetem à experiência de vida das classes populares nos cortiços da cidade do Rio de Janeiro (Não moro em casa de cômodo, não é por ter medo, não/ Na cozinha muita gente, sempre tem alteração). Assim, pode-se dizer que tal música nos fala um pouco sobre a complicada integração do negro na sociedade de classes que se formava no Brasil pós-abolição.

As outras duas são músicas de candomblé compostas e cantadas por João da Baiana, que inclusive misturam palavras em português com línguas africanas, num exemplo do que pode ter sido a fala de africanos e seus descendentes nas ruas soteropolitanas e cariocas do fim século XIX.

Bom proveito e um abraço.
http://www.youtube.com/watch?v=GtRy7qG0KKA&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=y2EL5IEVlFE
http://www.youtube.com/watch?v=UV2SIvfChvs&feature=related

Adriano

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home