quarta-feira, abril 07, 2010

Sobre saroba, saróba e sarobá

Encontrei na rede um significado para a palavra "Saroba", que aparece escrita como "saróba" ou "sarobá". O termo aparece como título de um poema do autor sul-matogrossense Lobivar Matos que foi publicado em 1936.

Deixo o próprio poeta explicar seu significado:

"Entram em cenário outras duas palavras com o mesmo significado -- Saróba e Sarobá. A primeira é usada na 'Nhecolândia', zona pantaneira e por 'excelência', pecuária, com o significado de logar sujo, onde os caboclos penetram com receio de algum 'macharrão' [onça macho] acordado, ou de alguma 'boca de sapo' traiçoeira. A segunda, cuja origem não descobri ainda, é denominação que recebe o bairro de negros de Corumbá. Logar sujo onde os brancos raramente penetram e assim mesmo, quando fazem, se sentem repugnados com a miséria e pobreza daquela gente. Sentem repugnância e nada mais, porque os infelizes continuam a vegetar em completo abandono como se não fossem creaturas humanas. Só se lembram de Sarobá quando são necessários os serviços de um negrinho. Fora daí, a favela em ponto menor é o tempo eterno da miséria, é a mancha negra da miséria bulindo na cidade mais branca do mundo."

Pesquisando um pouco mais, descobri que a população de tal bairro trabalhava predominantemente na navegação fluvial, ou seja, eram os equivalentes dos trabalhadores dos portos do Recôncavo Baiano. Ou seja, o bairro Sarobá era para a Corumbá dos anos 1930 o mesmo que a área portuária para o Rio de Janeiro do final do século 19: uma cidade negra onde os habitantes viviam às margens e sobreviviam nas brechas da lei. Não sei se os "sarobeiros" -- será que era assim que os habitantes do lugar eram chamados? -- jogavam capoeira, mas existem paralelos importantes entre eles e os "vadios e capoeiras" de Salvador e do Rio de Janeiro.

Também não sei se os capoeiristas baianos tinham conhecimento e se apropriaram das palavras "Sarobá" ou "Saróba" e lhes conferiram o significado, que permanece pejorativo, que viemos a conhecer nos anos 60 com o livro de Waldeloir Rêgo.

Mas que existe uma proximidade muito grande entre saróba, sarobá e a capoeira, existe.

Cito então o poema "Sarobá", que inclusive dá nome ao livro do referido poeta:

" Sarobá "
Lobivar Matos

Bairro de negros,
negros descalços, camisa riscada,
beiçolas caídas,
cabelo carapinha;
negras carnudas rebolando as curvas,
bebendo cachaça;
negrinhos sugando as mamas murchas das negras, .
negrinhos correndo doidos dentro do mato,
chorando de fome.

Bairro de negros,
casinhas de lata,
água na bica pingando, escorrendo, fazendo lama;
roupa estendida na grama;
esteira suja no chão duro, socado;
lampião de querosene piscando no escuro;
negra abandonada na esteira tossindo
e batuque chiando no terreiro;
negra tuberculosa escarrando sangue,
afogando a tosse seca no eco de uma voz mole
que se arrasta a custo
pelo ar parado.

Bairro de negros,
mulatas sapateando, parindo sombras magras,
negros gozando,
negros beijando,

negros apalpando carnes rijas;
negros pulando e estalando os dedos
em requebros descontrolados;
vozes roucas gritando sambas malucos
e sons esquisitos agarrando
e se enroscando nos nervos dos negros.

Bairro de negros
chinfrim,
bagunça,
Sarobá.

2 Comments:

Blogger Rodrigulliver® said...

Sarobá era um bairro em Corumbá onde existia um prostíbulo muito famoso de uma mulher chamada "Maria Mulata". Lá, onde trabalhadores afogavam suas mágoas e os moços perdiam o seu cabaço.
Embora condenada pela hipócrita sociedade corumbaense, era muito frequentada por todos, inclusive "distintos cavalheiros".

2:07 PM  
Anonymous Anônimo said...

Em Campo Grande, MS há uma festa e seminário a cada dois meses realizada pelo Teatro Imaginário Maracangalha com nome de Sarobá, o nome é inspirado na obra de Lobivar Matos. O Sarobá é itinerante e tem um clima de festival, com artistas de teatro, música, dança e peoesia, com varal de poesias, fotos e mil coisas...

10:50 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home